Follow by Email

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Colocando minha casa em ordem


Colocando a casa em ordem

-Tema: FAMÍLIA
II Reis 20.1-11
-Introdução: Você já imaginou uma casa de cabeça para baixo? Vivemos em tempos que a família perdeu sua referência de ser um lar. Tudo ficou ao contrário. As pessoas não gostam de ficar em casa. O casamento tem sido desvirtuado. A maternidade foi desvalorizada. Poucos sabem o que é uma família no sentido patriarcal com pai, mãe e filhos.
Qual seria o modelo de família de acordo com a vontade de Deus? O Senhor criou um homem e uma mulher, Adão e Eva, e lhes ordenou “E Deus os abençoou, dizendo: Sede fecundos, multiplicai-vos e enchei a terra.” (Gênesis 1.28).
O rei Ezequias recebeu esta ordem do Senhor por meio do profeta Isaías para colocar em ordem sua casa. Talvez este colocar em ordem poderia significar pagar as contas, nomear um sucessor para o trono, dividir a herança, pedir perdão alguém que tenha ofendido ou diversas outras coisas. Mas na hora que o rei Ezequias ouviu esta notícia do profeta ele não pensou em nada disso, mas virou-se para a parede e orou humildemente ao Senhor. Ele entendeu que precisava colocar sua vida em ordem espiritualmente.

Como organizar minha casa?


Baseado na experiência de Ezequias no v.3 onde faz a pequena oração “Lembra-te SENHOR, peço-Te...” regada de lágrimas. Será que Deus se lembraria o que você tem feito em sua casa? Vamos refletir sobre como colocar nossa casa em ordem:

1ª ordem – VIDA ESPIRITUALv.3a “andei diante de Ti com fidelidade”
Ezequias pediu a Deus para se lembrar de que ele andou diante de Deus com fidelidade. Ele era fiel a Deus em sua casa. Dedicou sua vida à oração. Sua vida espiritual estava em ordem. Ele foi humilde virando-se para a parede para ter um momento a sós com Deus.
A vida espiritual norteia tudo em nossa vida. Se a família é uma prioridade então precisamos orar em família. A casa é um lugar de descansar, comer e fazer suas coisas pessoais, mas deve também ser um lugar de oração. Não podemos dedicar os melhores lugares da casa para a Tv, para a comida ou lazer e não ter um lugar ou um momento de oração e leitura da Bíblia.
Se Deus for se lembrar do que você faz em casa, Ele vai lembrar o quê?
Você tem lido sua Bíblia e orado na sua casa?
Coloque sua vida espiritual em ordem!
                        
2ª ordem - RELACIONAMENTOSv.3b “com inteireza de coração”
Ezequias pediu ao Senhor para se lembrar também de que ele tinha um coração ‘inteiro’. Isso significa que seu coração não era dividido. Ele era íntegro para com Deus e para com as pessoas principalmente de sua família.
A Bíblia diz “Buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração” (Jeremias 29.13) e “Amarás, pois, o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e de toda a tua força. O segundo é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes” (Marcos 12.30). Precisamos amar a Deus e ao próximo de todo o coração.
Ter um coração inteiro significa não ser fingido, sem divisão. Por isso Tiago nos ensina a limpar nossas mãos e o coração “Purificai as mãos, pecadores; e vós que sois de ânimo dobre, limpai o coração” (Tiago 4.8).
Nossos relacionamentos mostram se amamos ao nosso próximo. Em casa é onde ficamos à vontade e mostramos quem realmente somos. Quem é você dentro das quatro paredes? Você tem amado seu próximo mais próximo? Seu coração está inteiro ou dividido? Para saber isso basta analisar as discussões, brigas e momentos de raiva. Se você tem falado palavras duras com quem você deveria amar lembre-se de que “a boca fala do que está cheio o coração” (Mateus 12.34b). Para colocar os relacionamentos e o coração em ordem basta perdoar quem te ofendeu e exercitar mais o amor.
Você tem amado sua família de todo o coração?
Coloque seus relacionamentos em ordem!

3ª ordem - ATITUDESv.3“fiz o que era reto aos teus olhos”
As atitudes mostram quem realmente somos.
Ezequias era um homem que tinha ações que glorificavam a Deus. O templo estava fechado e a primeira coisa que fez quando se tornou rei foi mandar abrir o Templo de Deus (II Crônicas 29.3) e restabeleceu o culto ao Senhor (II Crônicas 29.20-36), celebrou a páscoa que a muitos anos estava esquecida (II Crônicas 30), ordenou a coleta de dízimo e ofertas para a casa de Deus e para o sustento dos sacerdotes e levitas (II Crônicas 31.2-21). Além disso, quando enfrentava os inimigos como Senaqueribe rei da Assíria, antes de tudo orava ao Senhor (II Reis 19.14-19).
Como Ezequias mesmo disse em sua oração, suas atitudes eram retas ‘aos olhos do Senhor’ e não fazia apenas o que era certo aos seus próprios olhos. Ele obedecia a vontade de Deus.
Muitas vezes somos assim, fazemos o que queremos e achamos correto, mas precisamos aprender a ter atitudes que sejam de acordo com a vontade do Senhor por que “Os olhos do SENHOR estão em todo lugar, contemplando os maus e os bons”(Provérbios 15.3).
Às vezes a família está fora de ordem. Ninguém sabe quem é quem. é preciso definir os papéis. Muitas famílias são dividias por que cada um quer fazer sua própria vontade, os filhos ora desobedecem ao pai, outra hora à mãe e depois não obedece nenhum dos dois. É preciso haver união, pois um reino dividido não subsiste (Marcos 3.24) e não podemos servir a dois senhores (Lucas 16.13). Por isso o pai e a mãe devem entrar em acordo para não dividir os filhos confundindo-os. Para isso é preciso ter atitudes que sejam de acordo com a vontade do Senhor e não nossa.
Quando todos querem o que Deus manda, há união. Mas se cada um buscar seu próprio interesse há divisão.
Quais são as atitudes que você tem tido em sua casa?
Você tem feito sua própria vontade ou o que é “reto aos olhos do Senhor”?
Coloque suas atitudes em ordem com a vontade de Deus!

Coloque sua vida familiar em ordem!
-CONCLUSÃO:
Quando colocamos nossa casa em ordem, mesmo que enfrentemos problemas como Ezequias que ficou doente e recebeu a triste notícia de que iria morrer, Deus manda seu profeta voltar e reverter a situação.
O Senhor disse para Ezequias: “Ouvi a tua oração e vi as tuas lágrimas; eis que eu te curarei; ao terceiro dia, subirás à Casa do SENHOR” (v.5). Por isso Ezequias ainda viveu mais 15 anos livrando-o de seus inimigos (v.6) e Deus mandou o sol andar para trás 10 minutos com um sinal (v.11).
Quando colocamos nossa casa em ordem para com Deus, o Senhor nos ouve, vê nossas lágrimas, cura, dá vida em abundância e faz o impossível por nossas vidas.
Coloque em ordem:
sua vida espiritual
seus relacionamentos
suas atitudes

Deus move os céus e a terra para nos abençoar.

Quando você carrega uma Bíblia,
Satanás fica com dor de cabeça...
Quando você abre a Bíblia, ele desmorona...
Quando ele vê você lendo a Bíblia, ele desmaia...
Quando ele vê você vivendo o que você lê, ele foge... 

sábado, 22 de outubro de 2011

Senhor eu não sou nada


“Humilhai-vos perante o Senhor, e ele vos exaltará.” (Tg 4.10)

A idéia bíblica para essa humilhação pode ser entendida por “quebrantamento”, “rendição total”. Há um texto que corrobora com esse, que nos diz: “Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus;” (Mt. 5.3) Quem são os pobres de espírito? Esses são os que se humilham diante de Deus; são aqueles que se encontram rendidos e quebrantados no altar do Senhor. Numa postura de submissão completa diante do Deus que os livrou da morte eterna e como participantes ativos do Reino de Deus, eles empobrecem a si mesmos, para serem cheios dos os valores de Deus. O “pobre de espírito” citado por Jesus no sermão do monte é aquele que consegue mortificar toda a sua carne e valores. Ele abre mão de suas vontades e se torna pobre interiormente, para ser usado por Jesus. Ele reconhece que não é nada! Reconhece suas incapacidades! Ele entende plenamente que necessita diariamente, da cobertura das misericórdias de Deus em sua vida. Acho profunda a maneira como os valores de Deus solapam nossas convicções e motivações. Compreendemos então que, para Deus nos usar, é necessário que sejamos reduzidos a nada. Sim! É a partir desse nada que se quebrantou e se humilhou no altar do Senhor, que Deus irá ministrar os seus valores e fazer dessa vida um instrumento que glorifique o Seu nome na terra. Esse é o caminho da exaltação que provém de Deus. Você está disposto a pagar o preço? Está disposto a abrir mão dos seus valores, conceitos, motivações e outros que predominam em sua vida? Creia nessa palavra que é profética de Deus para a minha e sua vida! Pois a trajetória da vitória começa com o quebrantamento e a humilhação no altar do Deus que nos salvou.

Pr. Waldyr Silva do Carmo

IGREJA CASA DE ORAÇÃO CEHAB
http://casadeoracaocehab.blogspot.com
prwaldyrcarmo@yahoo.com.br

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

A morte não é o fim


Uma Senhora de 80 anos, membro fiel de nossa congregação, tinha sido submetida a uma cirurgia para a retirada de um tumor. Embora o tumor fosse maligno, ela estava em casa se recuperando bem. Quando telefonei para ver se poderia visitá-la, ela estava esperando para ser levada até o hospital para a radioterapia. Só havia tempo para algumas palavras, uma leitura bíblica e uma oração. Fui mesmo assim. Quando eu estava partindo, ela me parou à porta. Com um sorriso no rosto e um brilho nos olhos, ela disse: "Não estou pedindo a Deus para me curar, estou pronta para ir. Quando esta hora chegar, não vou morrer; vou viver!" "Morrendo o homem, porventura tornará a viver?" (Jó 14.14) Minha amiga, encarando a morte tinha uma resposta. Ela cria nas palavras de Jesus: "Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá." (João 11. 25,26). Para ela a morte não é um ponto final que representa o fim da vida; é um ponto-e-vírgula que separa duas partes dela. Se temos Jesus como nosso único Salvador, a morte é a porta para a vida eterna.

Somos todos iguais


“Mas, se fazeis acepção de pessoas, cometeis pecado, e sois redargüidos pela lei como transgressores.” (Tg 2.9)

O contexto do texto enfoca o cuidado que a igreja precisar ter para não fazer acepção de pessoas. Infelizmente essa realidade acontece na vida de muitas igrejas. Aquele que possui um nível social alto e é abastado financeiramente recebe um tratamento especial, enquanto, o que é pobre e simples é desprezado. Nas igrejas onde essa realidade é comum, os prejuízos são grandes. Sim, porque nesse contexto Deus não atua e o resultado que se vive são apenas os das vontades humanas prevalecendo. No contexto de uma igreja que vive dessa forma, a visão da mesma fica distorcida e essa realidade é transferida também para o contexto dos que a visitam. O tratamento dado ao visitante precisa ser o mesmo, tanto para o rico quanto ao pobre. Afinal, diante de Deus somos todos iguais! Aquele que faz acepção acaba por não perceber que está sendo exagerado ao fazê-lo, e visto por todos. Não percebe que está fazendo feio diante de Deus e dos homens. É necessário que a igreja esteja preparada para receber os visitantes de forma natural e primando também por não discriminá-lo ou excluí-lo. Esse é um dos caminhos para o avanço e crescimento da Igreja. O segredo do sucesso como temos falado, está na prática do amor. Quando amamos o próximo, refletimos o caráter de Cristo! Isto evidencia que o controle de nossas vidas está nas mãos e direção do Senhor. Logo, não haverá constrangimentos, angústias ou conflitos. O que reinará será a prática do amor fraternal que redunda em crescimento e amadurecimentos na vida da Igreja. Somos todos iguais! É dessa forma que Deus nos vê! É assim que também precisamos ver e viver.

Pr. Waldyr Silva do Carmo

IGREJA CASA DE ORAÇÃO CEHAB
http://casadeoracaocehab.blogspot.com
prwaldyrcarmo@yahoo.com.br

Os verdadeiros adoradores


“Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem.” (João 4.23)

Introdução:

Quem são os verdadeiros adoradores? Quais atitudes são vividas por eles e que tocam o coração de Deus? O estudo de hoje está baseado em João 4.23, quando Jesus afirma para a mulher samaritana, que a hora era chegada em que os verdadeiros adoradores iriam adorar o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai os estava procurando. À Luz desse texto, abordaremos algumas verdades que dizem respeito a esses servos que são autênticos, e que adoram e glorificam ao Senhor com suas vidas.

I – Os verdadeiros adoradores são procurados por Deus.

O texto que lemos nos afirma que Deus está procurando. Ele procura porque não há muitos! Procura porque são especiais e precisam ser encontrados. A Igreja de Cristo tem vivido dias de intensa adoração. Isto tem sido percebido através das prédicas, dos congressos que são realizados, no contexto da liturgia, dos grandes eventos de músicas gospel e outros. A adoração tem sido a tônica, o pulsar na vida de muitas. A realidade que tem sido vista e percebida é a de multidões e multidões dos que se dizem adoradores diante do Pai. Contudo, a pergunta que fica é: quantos de fato são verdadeiros adoradores? Quantos estão sendo encontrados no centro da vontade de Deus? Os genuínos adoradores que Deus procura, são aqueles que um dia entregaram por completo suas vidas para o controle total de Cristo. Para eles o viver é Cristo e o morrer é ganho. (Fl 1.21) Eles não adoram pelo que Cristo os dá, mas, pelo que Cristo é e representa em suas vidas. Não são movidos pelas circunstâncias, mas proclamam como Habacuque falou um dia: “Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado; Todavia eu me alegrarei no SENHOR; exultarei no Deus da minha salvação”. (Hb 3.17,18) Eles negaram a si mesmos, tomaram a sua cruz e seguiram a Jesus. (Mt. 16.24) Esses são os autênticos adoradores que estão sendo procurados por Deus. Você é um verdadeiro adorador?

II – Os verdadeiros adoradores adoram em espírito e em verdade – Rm 12.1

De forma objetiva o texto lido nos afirma: “... em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade;” Há uma relação íntima do verdadeiro adorador com Deus. A adoração é em espírito e através da fé. É exercida também em verdade. Ela é fruto da sinceridade de um coração quebrantado e verdadeiro diante do Pai. Uma adoração exercida na sinceridade plena desse coração que sabe plenamente que Deus está recebendo a sua adoração. Você consegue imaginar a grandeza e plenitude desses momentos com Deus. O Pai procurou e encontrou o verdadeiro adorador! Esse se alegrou por ter sido encontrado por Deus! Um grande milagre começa a acontecer através do quebrantamento e entrega desse adorador que adora na certeza de que Deus está recebendo a sua adoração. Nesse contexto, o coração é aberto, lágrimas são derramadas e respostas de Deus são ministradas a esse coração. Esse milagre é para mim e você se assim formos encontrados pelo Deus que nos salvou.

III – Os verdadeiros adoradores tocam o coração de Deus com sua adoração.

O homem foi criado para glorificar a Deus. Entendemos então que o coração de Deus é tocado e alegrado, através da adoração dos verdadeiros adoradores. Ela é plena, pois, não consiste apenas nos momentos de liturgia ou íntimos que passamos com o Senhor. Ela vai além! Ela toca o coração do Pai, pois a vida do adorador é um culto ao Deus que o salvou. O cristianismo para esse crente não é apenas religião, mas, se tornou o seu estilo de vida. Isto, porque ele dá um bom testemunho diante da sociedade, é fiel para com Deus, vive em oração, se envolve com a Palavra e prima pelos valores do Reino. Essa é a adoração que alegra o coração de Deus e resulta em grandes respostas na vida do adorador.

Conclusão:

Como temos sido encontrados diante de Deus? Será que Ele tem nos visto como verdadeiros adoradores? Temos adorado em espírito e em verdade? Nossa adoração está tocando o coração de Deus? A resposta para essas perguntas está em cada um de nós, e somente nós temos a condição de tomar as decisões, para sermos encontrados no centro da vontade de Deus. Somente nós podemos decidir, para sermos achados como verdadeiros adoradores ou não, diante do Pai.

Pr. Waldyr do Carmo

Igreja Casa de Oração Cehab
http://casadeoracaocehab.com.br

A oração que move o coração de Deus



Clique na imagem para baixar a mensagem

Clique e ouça

Lucas 18. 9-14

9 - E disse também esta parábola a uns que confiavam em si mesmos, crendo que eram justos, e desprezavam os outros:
10 - Dois homens subiram ao templo, para orar; um, fariseu, e o outro, publicano.
11 - O fariseu, estando em pé, orava consigo desta maneira: O Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano.
12  - Jejuo duas vezes na semana, e dou os dízimos de tudo quanto possuo.
13 - O publicano, porém, estando em pé, de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: O Deus, tem misericórdia de mim, pecador!
14 - Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado.

Isso é discipulado



"E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra. Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém." (Mateus 28:18-20)

Fui impactado profundamente ao ver esse vídeo que foi traduzido pelos irmãos do voltemos ao evangelho e Ame Cristo. O vídeo de forma simples fala sobre a missão e propósito da Igreja. O que somos? Onde estamos? Para onde estamos indo? Quais são nossas motivações? O Evangelho do Senhor Jesus sempre foi simples e prático. É através da simplicidade e praticidade de Cristo que o Reino de Deus é instaurado nos corações dos perdidos. O papel da Igreja (nós) é ser instrumento para fazer cumprir esse milagre. Que o Senhor nos livre do fardo pesado que temos carregado e que está nos impedindo de cumprir com a nobre tarefa da Evangelização Mundial.

Em Cristo Jesus,

Pr. Waldyr do Carmo

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Uns aos outros


“Está alguém entre vós aflito? Ore. Está alguém contente? Cante louvores.” (Tg 5.13)

A idéia do texto apresentado nos remete ao envolvimento que deve haver na vida da Igreja como corpo de Cristo. Somos lavados e remidos pelo sangue de Cristo e individualmente membros uns dos outros. A idéia bíblica para a Igreja é a da comparação da mesma, com o corpo humano. Paulo assim nos afirma: “Porque, assim como o corpo é um, e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, são um só corpo, assim é Cristo também.” (I Co 12.12) À luz do contexto, entendemos que como membros desse organismo vivo chamado Igreja, precisamos ser participantes ativos. Isto se dá, quando nos envolvemos uns com os outros e primamos pelo bem do Corpo. O alerta que a palavra nos apresenta, diz respeito ao envolvimento pleno, que nos faz como igreja, viver os valores do Reino que foram pregados pelo Senhor Jesus. Orar com os aflitos e cantar louvores com aqueles que estão alegres, retrata a realidade de que na vida desta igreja há saúde, cooperativismo, amor, companheirismo, unidade, comunhão e outros valores, que fazem essa igreja representar com excelência a pessoa de Cristo na terra. O resultado prático é o do crescimento e amadurecimento constantes desses irmãos, que a cada situação nova e contextos que são vividos, se tornam mais parecidos com Jesus. Essa igreja se torna viva e atuante em seu contexto local, caindo então na graça do povo. Ela se torna Sal e luz fazendo a diferença para a glória de Deus. Uns aos outros é o segredo da vitória na vida da Igreja.

Pr. Waldyr Silva do Carmo

IGREJA CASA DE ORAÇÃO CEHAB
http://casadeoracaocehab.blogspot.com
prwaldyrcarmo@yahoo.com.br

sábado, 15 de outubro de 2011

Aceite a repreensão


Aceite a repreensão

Ai da rebelde e manchada, da cidade opressora! Não ouve a voz, não aceita o castigo, não confia no SENHOR, nem se aproximou do seu Deus.

Sofonias 3.1,2

Jerusalém, a rebelde cidade do povo de Deus, estava manchada e cheia de opressão, mas, mesmo assim, recusou-se a ouvir a voz dos profetas que o Senhor enviou. Sofonias, então, foi usado para dar uma divina advertência. Ora, a situação dos que viveram naqueles dias não é muito diferente da que vivenciamos hoje, visto que muitos não dão ouvidos ao que o Altíssimo diz e, com isso, sofrem os ataques do inimigo.

O povo que habitava em Jerusalém não conseguia perceber que havia caído na armadilha do diabo. Para aquelas pessoas, o que faziam pouco importava, já que eram descendentes de Abraão e, por isso, julgavam-se especiais, independentemente das obras que praticavam. Há muita gente crendo assim nos dias de hoje. Essas pessoas pensam que, por serem cristãs, Deus não as condenará. O erro é não dar ouvidos à Palavra do Senhor.

A cidade de Jerusalém estava manchada. Hoje, o pecado mancha do mesmo modo que naqueles dias. Quem dá guarida ao toque sutil da sensualidade se deixa tomar pelos desejos lascivos e, quando abrir os olhos, verá que se contaminou completamente. Infelizmente, muitos filhos de Deus estão nessa situação. Não deixe que as mentiras do inimigo entrem em seu coração, pois, se isso acontecer, você nem verá que se afastou da salvação.

Além de rebelde e manchada, o Senhor a chama de cidade opressora. Quem está no erro não consegue ver o quanto tem ajudado o opressor – o diabo – a oprimir o povo de Deus. Quem sabe fazer o bem, e não o faz, segundo a Palavra de Deus, comete pecado (Tg 4.17). Ao estar nessa condição, o cristão torna-se conivente com todo tipo de jugo que recairá sobre as demais pessoas. Ele já não ora nem repreende o mal, tampouco intercede em favor dos sofredores.

O Senhor falava, mas os habitantes de Jerusalém tinham coisas mais importantes a fazer. Toda vez que um povo começa a prosperar, há uma aumento considerável de festas. Até quem é de Deus passa a imitar os perdidos nas comemorações, nos jantares, nas festas e nos demais prazeres da carne, que aqueles que não conhecem o Senhor usam para se distrair. Cuidado! Talvez isso esteja acontecendo com você! No entanto, temos uma festa diferente para participar.

Pobre Jerusalém daqueles dias! Já tomada pelo pecado, não aceitava as repreensões do Senhor. Sempre haverá pessoas com “poções milagrosas” para tirar os olhos do povo das repreensões que Deus permite que assolem aqueles que são dEle. Estes, quando erram, sentem-se os mais miseráveis. Mas, se derem atenção aos falsos profetas, não se endireitarão e, em pouco tempo, acharão normal a iniqüidade que praticam.

Não cometa o mesmo erro. Aproxime-se de Deus e confie nele o tempo todo. Não se deixe levar pelas pessoas que dão mau exemplo, pois são aquelas que Pedro chamou de nódoas para a fé (2 Pe 2.13). Para elas, está reservada a escuridão eterna. Não queira ser como uma delas! Volte-se para o Senhor enquanto é tempo! 

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares


Ele vem!
“Sede vós também pacientes, fortalecei os vossos corações; porque já a vinda do Senhor está próxima.” (Tg 5.8)

Os dias são maus! A instabilidade humana, os conflitos, os medos, as incertezas e tantos outros, sugam nossas forças e acabam por nos levar a grandes abatimentos. O que esperar de um mundo que caminha a passos largos para o inferno? O que esperar de uma sociedade corrupta, perdida e que só prima pela estagnação e degradação dos valores éticos e morais. Na verdade, quando nossos olhos se voltam apenas dentro de uma perspectiva humana, acabamos por não encontrar solução para tamanho problema. Contudo, em meio ao caos, uma palavra viva emerge na direção de um grupo diferente, um grupo que um dia ouviu uma promessa viva e continua sobrevivendo e esperando por essa promessa. Um dia, o Cristo que foi crucificado e ressuscitou vencendo a morte e o inferno prometeu buscar a todos que o aceitassem como único Senhor e Salvador de suas vidas. Ele prometeu que levaria a sua Igreja para os céus de glória, onde não haveria mais dores, sofrimentos, angústias e tantos outros males que nos assolam. Em razão dessa maravilhosa promessa, Tiago vem exortar àqueles que aguardam a volta do Senhor dizendo: “sejam pacientes” – Em outras palavras ele está dizendo: continuem firmes! Vale à pena esperar, pois Ele virá! Ele diz também: “fortalecei os vossos corações” – A proposta, é que como corpo, estejamos unidos e fortalecidos mutuamente. Esse é o sentimento que foi manifestado por Cristo, enquanto esteve na terra com os discípulos, anunciando os valores do Reino. Tiago diz mais: “a vinda do Senhor está próxima.” Você consegue pensar um pouco sobre essa grande verdade? A vinda de Cristo está próxima! Os sinais que estão sendo vividos em todo o mundo evidenciam essa grande verdade. Jesus breve vem nos buscar. Por isso, profeticamente afirmo para você que está esperando a Jesus: Não desanime, não perca as suas esperanças, pois por mais que suas lutas sejam grandes e o caos esteja te solapando, Aquele que vêm está com você. Em breve, tudo vai passar e nos encontraremos para sempre com o Senhor Jesus. Essa é a viva esperança da Igreja! Essa é a herança daqueles que um dia foram lavados e remidos pelo sangue de Cristo. Você crê nisso? “Maranata” – Ora vem Senhor Jesus!
Pr. Waldyr Silva do Carmo

Cumpridores da palavra


Posted: 13 Oct 2011 05:07 AM PDT
“E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos.” (Tg 1.22)

A Palavra de Deus é a revelação do próprio Deus a todos os homens. Nela está o segredo da vida abundante que deságua na vida eterna com Cristo. Ela é o manual para a prática da vida cristã. São orientações, conselhos, advertências, mandamentos e outros que quando praticados, levam o crente a viver o melhor que foi sonhado por Deus aos seus filhos. Tiago, de forma contundente vem nos afirmar, que diante de tais realidades é necessário que sejamos cumpridores dessa palavra e não somente ouvintes, que são enganados por falsos discursos. A vida do crente fala mais alto que suas palavras. Não adianta ser detentor de belos discursos, que levam os ouvintes a profundas emoções, se a vida não está condizendo com tal. Infelizmente há em nossos dias muitos crentes vivendo “vida dupla”. Dentro da igreja são ousados, destemidos, ministram em nome da unção do Espírito, no entanto, na prática do dia a dia, vivem numa falácia espiritual total, pois, suas vidas não refletem aquilo que pregam. A vida religiosa do crente precisa ser a evidência de tudo o que acontece na prática. Muito mais do que na igreja, Deus espera que sejamos sal e luz fora da mesma. É, lá no trabalho, na escola, dentro de nossas casas, nos estabelecimentos comerciais, no trânsito e outros, que a Luz de Cristo, que proclamamos ter precisa brilhar. Viver dessa forma é cumprir a Palavra de Deus! É andar na certeza plena, de que além da religião, o cristianismo para nós é estilo de vida! Em nome de Jesus, não vamos nos enganar! Não vamos retroceder como servos do Senhor, mas sim, avançar! Fazemos isso, quando testemunhamos de “fato” que Jesus Cristo é o Senhor.

Pr. Waldyr Silva do Carmo

IGREJA CASA DE ORAÇÃO CEHAB
http://casadeoracaocehab.blogspot.com
prwaldyrcarmo@yahoo.com.br

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Jesus tem a salvação e a solução


Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e a tua casa. (Atos 16:31)

                                      
O principal objetivo deste tópico é fortalecer a fé no que a Bíblia diz acerca de Jesus Cristo, e enfatizar o que Ele realmente representa na nossa vida.
Jesus como homem sentiu as dores do sofrimento humano, e como Deus pode suprir todas as nossas necessidades. O Senhor Jesus Cristo é divisor de águas de nossas vidas e da história, o único cuja história afeta a vida humana. Ninguém pode ficar alheio á sua vida e obra. É o nosso modelo em tudo, a Bíblia diz que em tudo foi perfeito, é nele que devemos nos inspirar.
O nome "Senhor" fala da divindade absoluta de Jesus. O Título "Cristo" é a forma grega do hebraico "Messias", que significa "ungido". O Novo Testamento diz que Messias é o mesmo que Cristo (João 1:41; 4:25). O nome Jesus Cristo quer dizer, Salvador Ungido, e Senhor diz respeito á sua deidade absoluta.
A declaração Bíblica de que não há salvação em nenhum outro nome debaixo do céu, a não ser em Jesus (Atos 4:12) esmaga as religiões pagãs, que atribuem o título de salvador a outras pessoas. Jesus já nasceu Salvador (Lucas 2:8-11). Deus o constituiu Príncipe e Salvador para "dar a Israel o arrependimento e remissão dos pecados" (Atos 5:31).
O texto sagrado está dizendo que Deus, ao nomear o Senhor Jesus como Salvador, está dando aos pecadores oportunidade para o arrependimento. Se isso não acontecesse não teríamos salvação. Esse exclusivismo cristão ainda hoje afronta o mundo pagão e deixa em desconforto as religiões monoteístas, que não têm a Cristo e nem o Espírito Santo, e que esperam a salvação fora da pessoa de Jesus.
Libertador e Salvador dizem a mesma coisa no Novo Testamento a respeito de Jesus. A liberdade cristã oferecida por Jesus é diferente da liberdade apregoada hoje pela imprensa e pelos políticos. É o ato de libertar a nossa consciência da culpa do pecado, dando-nos a certeza da vida eterna. Essa promessa o Senhor Jesus fez para todos os homens.
O aparecimento de Jesus trouxe transformação de muitas vidas, mudou a Galiléia e alterou todo o curso da história da humanidade. Jesus tem, e é a solução de todos os problemas (Mateus 11:28-30). O mundo está em desespero, mas infelizmente Satanás cegou os sofredores de uma maneira tal que muitos não conseguem reconhecer Jesus como seu Salvador e Libertador.
Na Bíblia temos inúmeras passagens que falam de maneira explícita que Jesus é Deus (Romanos 9:5/Filipenses 2:5/Tito 2:14/Hebreus 1:8/II Pedro 1:1) e ao mesmo tempo homem (I Timóteo 2:5/I João 4:3). Deus assumiu a forma humana para entrar no mundo, "o Verbo se fez carne e habitou entre nós e vimos a sua glória, como a glória do Unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade" (João 1:14)
O Senhor Jesus não deixou de ser Deus, nem foi metade Deus e metade homem. Ele, por amor, simplesmente despiu-se de sua glória, para reivindica-la novamente na consumação de sua obra redentora (João 17:1-5).
Você nunca ouviu um mulçumano dizer: "Maomé vive em mim", ou "ele habita em meu coração", ou ainda: "tenho comunhão com Maomé". Da mesma forma os judeus com relação a Moisés, os budistas com Buda, os confucionistas com Confúcio. Mas com Jesus é diferente, pois nenhum deles afirmou alguma vez ser o Deus verdadeiro, o Criador do céu e da terra, porém Jesus declarou ser-lo (João 8:58 e 10:30-33), e persuadiu a maioria. Jesus garantiu habitar nos corações de seus seguidores: "Se alguém me ama, guardará as minhas palavras, e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada" (João 14:23). Podemos dizer com toda certeza "Cristo vive em mim" (Gálatas 2:20).
Seu corpo foi cravado na cruz, e com sua morte o pecado foi expiado. Pelo poder do Espírito Santo, ressuscitou dentre os mortos, e retomou toda a sua glória e divindade (Filipenses 2:7-11).
Não existe argumento convincente para não crer em Jesus. Ele continua vivo e tem todo o poder no céu e na terra. A grandeza do nome de Jesus pode ser visto na Bíblia, na história, nas artes, no nosso dia a dia e principalmente no testemunho pessoal de seus seguidores. Mesmo sob perseguiçães esse nome atravessou os séculos e com a arma do amor fundou o maior império da história e o único que não será destruído.
Se você ainda não aceitou ao Senhor Jesus como seu Salvador, faça-o agora mesmo, confessando a Ele os seus pecados, e tenha uma vida renovada na presença de Deus. Veja o conselho Bíblico:
"Porque, se com tua boca confessares a Jesus como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo" (Romanos 10:9)
Que Deus te abençoe em Cristo Jesus hoje e sempre. Amém .

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Alcançando a prosperidade de DEUS



Posted: 10 Oct 2011 05:27 AM PDT
“E, olhando ele, viu os ricos lançarem as suas ofertas na arca do tesouro; E viu também uma pobre viúva lançar ali duas pequenas moedas; E disse: Em verdade vos digo que lançou mais do que todos, esta pobre viúva; Porque todos aqueles deitaram para as ofertas de Deus do que lhes sobeja; mas esta, da sua pobreza, deitou todo o sustento que tinha.” (Lc 21.1-4)

Introdução:

Em João 10.10 Jesus nos afirma: “O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância.” A vida abundante prometida pelo Senhor Jesus, vai além daquilo que os olhos podem ver. Ao proferir tais palavras, Cristo estava trazendo à luz valores que só podem ser vividos por aqueles que o aceitam como único Senhor e Salvador de suas vidas. São esses que vivem a prosperidade plena de Deus e marcam a sua geração com a glória do Senhor. Esse grande milagre foi vivenciado por essa viúva. Ela não era possuidora de grandes somas de bens materiais, mas, vivia na plenitude da prosperidade de Deus. Seu estilo simples e de Fé tocou o coração do Senhor Jesus de forma profunda. A adoração dessa mulher foi o resultado de tudo o que ela já estava vivendo em Cristo. À luz dessa maravilhosa história, estaremos considerando os valores que devem ser vividos por aqueles que almejam alcançar a prosperidade de Deus em suas vidas.

Alcanço a prosperidade quando...

I – Deus tem o controle pleno da minha vida

Essa mulher só ofertou ao Senhor todo o sustento que tinha, porque toda a sua vida estava nas mãos de Deus. O controle total era do Senhor, razão pela qual ela o adorou dessa forma. Qualquer um de nós no lugar dela e diante de tal contexto enfrentaria uma série de questionamentos, que nos impediriam de realizar um ato como esse. Contudo, ela sabia que tudo o que possuía e todo o seu ser pertenciam ao Senhor. Ela ofertou porque confiou plenamente sua vida e decisões nas mãos do todo poderoso que reinava por completo em seu coração. Pergunto a você: Deus tem estado no controle de sua vida? Suas decisões são pautadas na dependência e vontade do Senhor? Nossa caminhada para ser vivida na prosperidade de Deus, necessita começar com a dependência e entrega total de nossas vidas nas mãos de Cristo. Esse é o caminho para a vitória.

II – Somos fiéis ao Senhor

Somente aqueles que são fieis, conseguem adorar da forma como essa mulher adorou. A atitude manifestada por ela revela claramente que ela era fiel a Deus. Nossa adoração, louvor, ministrações, ofertas e outros que são tão comuns nos momentos de culto ao Senhor, devem ser resultados de uma vida que se encontra diante de Deus numa postura de fidelidade. Foi assim que Cristo viu essa mulher e é dessa forma que Ele que nos ver. Nossos atos, decisões, toda a nossa vida precisa ser passada pelo crivo da fidelidade que Deus requer de seus filhos. É sendo fieis que tocaremos o coração de Deus, é dessa forma que seremos encontrados diante Dele como verdadeiros adoradores que o adoram em espírito e em verdade.

III – Adoramos independente das circunstâncias

No texto lemos que essa mulher ofertou duas moedas. Jesus afirma que ela havia dado todo o seu sustento que tinha. Eu não sei quais eram as reais necessidades dessa mulher. Mas tenho certeza de que as duas moedas não resolveriam o problema dela. Penso que ela estava passando por grandes problemas financeiros e o único sustento que tinha eram as duas moedas. As circunstâncias eram contrárias, a tempestade estava assolando a vida dessa mulher; contudo, ela conseguiu adorar independente das circunstâncias. Como você tem reagido quando o vento está contrário? Que palavras saem da sua boca quando o problema bate à sua porta? O verdadeiro adorador não vive pautado nas circunstâncias, mas adora ao Senhor mesmo nas dificuldades, pois não adora pelo que Deus pode lhe dar, mas pelo que Deus é em sua vida. Isso é prosperidade! É estar no centro da vontade do Senhor.

IV - Realizamos algo extraordinário para Deus

Essa mulher realizou algo extraordinário para Deus. Ao invés de olhar para as dificuldades e problemas, ela conseguiu ver apenas Deus! Ela por certo deve ter pensado: apesar de ter apenas duas moedas, o meu Deus merece o meu melhor! Ele merece que eu saia da normalidade e faça algo que alegre o seu coração. Ela deu tudo! Isso foi extraordinário! Infelizmente no contexto da Igreja, apenas aquilo que é normal é que o tem sido feito. É emergente que se levantem vidas que estejam prontas para fazerem coisas extraordinárias para Deus. Você está disposto a isso? Ouvir alguém que necessita conversar em meio ao grande ativismo que vivemos é fazer algo extraordinário. Atravessar uma velhinha na rua, quando a mesma está perdida e sem saber como o fazer é algo extraordinário. Abraçar alguém num momento difícil, escrever uma carta para um missionário, ir além do dízimo e ofertas sabendo que Deus tem propósitos é fazer algo extraordinário. Atitudes assim tocam o coração do Pai. E quando tocamos o coração do Senhor com nossa adoração, Ele nos responde favoravelmente. Ele manifesta a Sua glória em nossas vidas.

V – Cremos no Deus da provisão

Ela só tinha duas moedas e as deu como oferta ao Senhor. Ela deu tudo! Ela entregou ali no altar do Senhor a sua própria vida. Ao fazer dessa forma ela estava sem palavras dizendo para Deus: “Pai entrego a ti todo o meu sustento, porque creio em tua provisão” – Ela tinha convicção plena que Deus iria supri-la em todas as suas necessidades. Como crentes em Cristo, precisamos crer em Sua provisão. Cremos quando nossa Fé é colocada à prova, pois são nos momentos difíceis que Deus quer ver o nosso coração. Ofertar quando tudo está bem, quando a conta bancária está no azul, quando não há enfermidades é fácil. A questão é como nos reagimos diante de Deus nos momentos de lutas e conflitos. São nessas horas que precisamos ter fé e crer no Deus da provisão. Ele é Fiel suprirá todas as nossas necessidades em glórias através de Cristo Jesus. (Fl 4.19)

Conclusão:

Fico a pensar na história dessa mulher após esse momento de adoração. Não creio que tenha continuado do mesmo jeito. Entendo que Deus se revelou a ela favoravelmente. Acredito que Deus mudou a história dessa mulher. Creio também que Deus o fez não porque ela deu duas moedas, mas, porque antes de entregá-las no altar, essa viúva já era próspera. Ela já estava no centro da vontade do Senhor; razão pela qual, tal atitude foi vivenciada. A prosperidade de Deus acontece primeiro dentro de nós. É lá no íntimo do seu coração que Deus quer realizar grandes milagres. Isso só é possível quando tomamos a atitude de entrega total ao Senhor. Quando assim o fazemos Deus encontra em nós adoradores que o adoram em espírito e em verdade. O resultado é visto então através de manifestações práticas de adoração que irão tocar o coração de Deus e redundar em respostas e milagres na vida dos adoradores. Que Deus o abençoe rica e abundantemente levando o a uma vida de real prosperidade.


Pr. Waldyr Silva do Carmo

IGREJA CASA DE ORAÇÃO CEHAB
http://casadeoracaocehab.blogspot.com
prwaldyrcarmo@yahoo
.com.br