Follow by Email

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Vencendo as tentações


VENCENDO AS TENTAÇÕES



"Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar". - I Coríntios 10 :13.
Definimos tentação como uma atração para fazer o que é mal na esperança de obter o prazer ou o lucro, não importando as conseqüências disso.

Na luta do cristão contra o diabo, o principal campo de batalha é a tentação. Precisamos vencer o inimigo superando as tentações. Não estamos sós, contudo. Jesus tornou-se um homem, foi tentado como somos, obteve a vitória, assim mostrando como nós podemos triunfar sobre Satanás ( Hebreus 2:17-18; 4:15). É essencial, portanto, que analisemos cuidadosamente de que forma Jesus venceu.
Embora Jesus foi tentado várias vezes, ele enfrentou um teste especialmente severo logo depois que foi batizado. Lucas recorda este evento (Lucas 4:1-13), mas seguiremos a história conforme Mateus a conta: "A seguir, foi Jesus levado pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo. E, depois de jejuar quarenta dias e quarenta noites, teve fome" (Mateus 4:1-2). Pelo fato que foi o Espírito que levou Jesus para o deserto mostra que Deus pretendia que Jesus fosse totalmente humano e sofresse tentação. Note estas três tentativas de Satanás para seduzir Jesus.
Falar em tentação é falar em um impulso íntimo dirigido para o pecado, originado dos instintos inferiores ou da malignidade do tentador. Também podemos dizer que é a indução para o mal, por sugestões do diabo ou da sensualidade.
A verdade é que Deus, na pessoa de Jesus viveu a humanidade e proporcionou meios para que a tentação não seja maior do que qualquer ser humano possa suportá-la. Talvez o maior problema esteja em se focar a tentação e não a raiz da mesma, assim já perdendo terreno até mesmo no tratamento com a mesma.
Por mais forte que possa ser a tentação, ela não passa de uma bem engenhosa mentira proposta pelo seu arquiteto, ou seja pelo diabo.
Note que não encontramos em toda a Bíblia, algum versículo dizendo para fugirmos da tentação, no entanto, encontramos orientação para fugirmos até da APARÊNCIA DO MAL (que muitos não observam) e resistir ao diabo.
A questão do mal é uma situação tão traiçoeira, que somos orientados a fugir até mesmo de sua aparência. Não é nem do mal em si, mas da aparência - percebem ? - I Tessalonicenses 5:22.
O outro conselho é resistir AO diabo, e ele fugirá de vós - Tiago 4:7. Muitos estão resistindo ao diabo, mas se fartando com os dividendos que ele oferece, então a vida se torna bastante complicada.
Para se resistir ao diabo, existe um pré-requisito - sujeitar-se a Deus. Aqui está o fio da meada ou a chave do sucesso. Sujeição total a Deus.
Tenho certeza que você já foi tentado em algo, e tentou resistir ao pensamento, chegando à conclusão de que não funciona, pois ao se ater novamente a situação, lá estava o pensamento mais firme e forte do que antes...Isso porque resistir "pensamentos" não funciona. Só se coroa um rei, quando outro foi destronado. Só se vence um pensamento, colocando-se outro no lugar. É como você mudar de canal em sua TV. Só entra um canal, se você desistiu do outro....
Na mente está o nosso maior campo de batalhas, e é ali que se ganha ou se vence, porém, atendo-se ao verdadeiro inimigo e combatendo-o da maneira correta.
O que prende a nossa atenção, certamente nos prende. Não é assim, quando você está lendo um livro, ou assistindo a um filme ?
Temos o mando de decidir o que de fato prenderá nossa atenção. Se algo que vem de Deus ou algo que vem do inimigo.
Sujeitando-nos, portanto a Deus, Ele nos capacitará para resistirmos a coisa certa, que é o diabo, então poderemos exercer a autoridade que já nos foi outorgada pelo Senhor - (Efésios 1:21) e assim, ele - o diabo - verdadeiramente fugirá de nós com toda sua tralha, e não teremos espaço em nossa mente para nem mesmo a aparência do mal, que dirá a tentação de forma concretizada.
Isso exige de nós que sejamos praticantes e não somente ouvintes da Palavra, pois se tal acontece, enganamos a nós mesmos.
Eis por que: ”O diabo tenta, mas o Senhor sustenta”.
1. Encare a realidade da situação. Diga a Deus exatamente como se sente (Fp 4.6; Hb 4.16, 7.25). Ele não ficará espantado e até respeitará sua sinceridade. Foi ele quem nos criou com anseios emocionais profundos e intensos desejos físicos. Ele conhece a nossa estrutura.

2. Reconheça que a tentação é temporária.

3. Veja o que as Escrituras ensinam. A Palavra de Deus é nossa melhor defesa contra Satanás e suas artimanhas, uma das quais é encher-nos de dúvidas quanto às boas intenções de Deus para nós e fazer-nos pensar que somos exceções à sua lei. Nosso conhecimento da Palavra de Deus bem como a fé que depositamos nela nos protegem da derrota e destruição. O próprio Jesus respondeu às tentações de Satanás com a Palavra escrita. (Para saber mais sobre o plano de Deus, leia 1 Coríntios 6, 7.24, 2 Coríntios 7.1, e 1 Tessalonicenses 4.3.)

4. Resolva obedecer a Deus. Não importa a intensidade de seu desejo.

5. Não de "lugar à carne". Não se coloque voluntariamente numa situação em que terá plenas condições de liberdade e privacidade para ceder à tentação.

6. Saiba com certeza que você pode vencer as tentações. Não importa a intensidade dela, não temos que ceder. Juntamente com cada tentação, Deus nos dá um "livramento" (1 Co 10.13). Creio que esse "livramento" é o poder do Espírito Santo - o Espírito de Cristo que habita em nós. "O Cristo que conheceis não é um ser fraco, indiferente ao que se passa dentro de vós, mas é uma força que dentro de vós vem a agir formidavelmente." (2 Co 13.3) A satisfação sexual, ao contrário do que propaga o mundo, não é inevitável, nem essencial a um bom relacionamento amoroso.

7. Agradeça a Deus porque ele compreende as dificuldades por que você está passando. Ele partilha de nossa "natureza física comum", e "por virtude do Seu próprio sofrimento, sob a tentação, pode socorrer os que estão expostos à tentação". (Hb 2.14 e 18) Até mesmo o apóstolo Paulo teve que renegar a si próprio para aprender a confiar em Deus, e não em si mesmo. (2 Co 1.9.)

8. Permita que Deus restaure o seu espírito abatido. Depois da tentação de Jesus, vieram os anjos e o serviram. O mesmo aconteceu a Elias, depois de haver fugido desalentado. 0 Senhor nos abençoa da mesma forma, em nossas tentações. Não permita que Satanás o prejudique nem à pessoa que você ama com incriminações ou acusações pela tentação. Em vez disso, busque a melhor coisa de Deus (isto é, obedeça à sua vontade revelada em sua Palavra, que proíbe a infidelidade) para os dois, pois "... Deus é a resposta cabal às nossas mais profundas e ardentes aspirações". (1 Co 6.13)

9. Não procure suportar seu sofrimento sozinho. Procure uma pessoa, um amigo, um conselheiro, em quem possa confiar, e que possa ajudá-lo a entender seus próprios sentimentos, pensamentos e ações. Essa pessoa pode ajudá-lo a compreender suas reações, e auxiliá-lo a reforçar sua decisão de obedecer a Deus. "Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros, e orai uns pelos outros, para serdes curados." (Tg 5.16.)


10. Procure um relacionamento melhor com seu cônjuge, se é casado. Procure, de maneira ativa, consolidar bem o seu relacionamento conjugal, pois até mesmo um bom casamento pode ficar debilitado por falta de apoio emocional.






Nenhum comentário:

Postar um comentário