Follow by Email

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

A aterrorizante voz de Deus

A aterrorizante voz de Deus

O livro de Êxodo contém uma das passagens mais estranhas de todas as escrituras. Estando Israel acampado junto ao Monte Sinai, foram subitamente cobertos por espessa escuridão e por um incrível fogo flamejante. Do meio destes elementos impressionantes, Deus falou: "Estas palavras falou o Senhor a toda a vossa congregação no monte, do meio do fogo, da nuvem e da escuridão, com grande voz..." (Deuteronômio 5:22).
As montanhas que cercavam os israelitas estavam incandescentes, e o fogo sobrenatural consumia tudo que estava à vista. Trovões explodiam como se a terra estivesse se dividindo em duas. E do meio de tudo isto Deus falou de maneira audível, com uma voz aterrorizante e onipotente.
Enquanto tudo isto acontecia, os israelitas ficaram paralisados de medo. Estavam convencidos de que morreriam antes que a voz de Deus parasse de falar. De acordo com as escrituras, até Moisés, o grande amigo de Deus, ficou "aterrado e trêmulo." Eles devem ter achado que estavam suspensos sobre a boca do inferno.
Finalmente, a voz silenciou. Os relâmpagos cessaram e os tremores pararam. E logo o sol começou a brilhar. As pessoas começaram a olhar em torno, e viram que todo mundo ainda estava vivo. Foi um milagre. Eles haviam ouvido a voz real e audível de Deus e viveram.
É claro que assim que cessou esta manifestação incrível, os anciãos e os líderes das tribos de Israel convocaram uma reunião. Era de se esperar que esta seria a maior reunião de louvor de toda a história da humanidade. Todos podiam testificar sobre a experiência gloriosa e transformadora que Deus lhes havia dado.
Eu os imagino dizendo: "É impressionante. Nenhum outro povo da terra já ouviu a voz de Deus saindo do fogo, e sobreviveu. Podemos dizer aos nossos netos: eu estava lá no dia que Deus falou conosco." Também vejo os sacerdotes levitas advertindo o povo: "Não esqueçam deste dia. Nós experimentamos em primeira mão a toda-poderosa santidade do Senhor. Vivamos sempre em temor a Ele."
Porém esta reunião não foi, em absoluto, uma reunião de louvor. Incrivelmente os anciãos disseram a Moisés: "Não podemos lidar com uma experiência deste tipo. Não queremos mais ouvir a aterrorizante voz de Deus. Se Ele falar conosco assim outra vez, vamos morrer. De agora em diante queremos ouvir Suas palavras através da voz de um homem."
A resposta deles foi totalmente incompreensível. Por que alguém haveria de reagir desta maneira diante de um milagre tão glorioso de Deus se comunicando com o Seu povo? Eu digo o porquê: era porque os israelitas possuíam pecado oculto em seus corações. Adoravam secretamente a ídolos.
É inacreditável mas estas pessoas ainda se pegavam aos pequenos ídolos de ouro que tinham trazido consigo do Egito, imagens encravadas de Moloque e a estrela do deus Renfã. O apóstolo Estevão disse que estes ídolos eram: "...figuras que fizestes para adorar..." (Atos 7:43). Os israelitas os haviam esculpido à semelhança dos gigantescos bezerros de ouro que os egípcios adoravam. Haviam gritado: "Tu nos libertastes do Egito. Tu és nosso Deus." E agora, no deserto, ainda não tinham se livrado de sua horrível idolatria.
Estevão denominou este povo "...congregação no deserto..." (verso 38). Ele ficou abismado de que até após o Senhor haver falado com eles de maneira audível, seus corações permanecerem no Egito idólatra. Disse o seguinte a respeito deles: "...nossos pais não quiseram obedecer...no seu coração, voltaram para o Egito" (v.39).
Percebe-se porque a voz de Deus fez com que este povo tremesse. A razão pela qual acharam que iam morrer era porque estavam na presença de um Deus santo, poderoso, e não diante de um ídolo qualquer sem vida, esculpido. O Espírito de Deus havia apertado suas almas, e a consciência ficava lhes convencendo.
Esta grande cena de estremecimento e de tremor não era um show qualquer de terror, com objetivo de levar os israelitas à obediência através do susto. Não é assim que o nosso Deus de amor age. Moisés explicou os propósitos de Deus ao povo:
"Respondeu Moisés ao povo: Não temais; Deus veio para vos provar e para que o seu temor esteja diante de vós, a fim de que não pequeis" (Êxodo 20:20). "Andareis em todo o caminho que vos manda o Senhor, vosso Deus, para que vivais, bem vos suceda, e prolongueis os dias na terra que haveis de possuir" (Deuteronômio 5:33).
Moisés disse em essência: "Deus não está irado com vocês. Este acontecimento majestoso não foi por causa disto. Não; Ele está querendo capacitá-los com Seu impressionante temor. Ele está tentando construir em vocês uma arma poderosa que os sustentará diante do inimigo. E está fazendo isto para que vivam em vitória todos os dias da vida."
À esta altura, contudo, aquele fogaréu incrível havia desaparecido. O terrível e ruidoso trovão e os relâmpagos sobrenaturais tinham acabado, e a indescritível voz de Deus silenciara. Agora, então, os líderes foram a Moisés trazendo os seus "interesses". À superfície suas palavras soavam muito religiosas: "Vimos o quanto o Senhor é grande e glorioso. E fomos privilegiados por ouvir Sua voz audível. Agora sabemos que é possível ouvir Sua divina voz e viver." Até aqui, tudo bem.
No entanto, a seguir veio uma das argumentações mais estranhas de toda a Bíblia. Os líderes disseram a Moisés: "...hoje, vimos que Deus fala com o homem, e este permanece vivo. Agora, pois, por que morreríamos? Pois este grande fogo nos consumiria; se ainda mais ouvíssemos a voz do Senhor, nosso Deus, morreríamos. Porque quem há , de toda carne, que tenha ouvido a voz do Deus vivo falar do meio do fogo, como nós ouvimos, e permanecido vivo?" (Deuteronômio 5: 24-26). Tinham acabado de ouvir a voz de Deus e tinham sobrevivido. Que estranha lógica é esta?
Disseram a Moisés: "Sabemos que podemos ouvir Deus falar do meio do fogo, e sobreviver. Contudo, se tivermos de nos sentar em baixo de Sua voz direta, pura, santa, seremos consumidos. Morreríamos para que? De todos os povos do mundo, somos nós que ouvimos a voz de Deus e vivemos."
Mas o Senhor sabia o que estava em seus corações. Disse a Moisés: "Eu ouvi as palavras deste povo, as quais te disseram; em tudo falaram eles bem" (verso 28). Deus estava dizendo, em outras palavras: "As palavras do povo soam bem porque conhecem o linguajar religioso certo. A linguagem é a de um povo humilde, obediente - como se possuíssem genuíno temor de Mim."
A seguir o Senhor nos dá uma dica quanto ao que realmente está acontecendo: "Quem me dera que eles tivessem tal coração, que me temessem e guardassem em todo o tempo todos os meus mandamentos, para que bem lhes fosse a eles e a seus filhos, para sempre!" (verso 29).
Eles honravam a Deus com os lábios, mas seus corações estavam distantes dEle. Citando Isaías: "...este povo se aproxima de mim e com a sua boca e com os seus lábios me honra, mas o seu coração está longe de mim, e o seu temor para comigo consiste só em mandamentos de homens, que maquinalmente aprendeu" (Isaías 29:13). Os israelitas eram tão devotos à suas pequenas imagens de ouro, que nada os afastava da adoração idólatra. Nem uma montanha em chamas, nem um terremoto sobrenatural, nem um trovão de partir a terra em duas conseguia soltá-los da idolatria. Finalmente até ignoraram a voz audível de Deus, em toda Sua santidade e majestade.
Quando os anciãos de Israel disseram: "Precisamos de uma mensagem mais leve, caso contrário morreremos" como estavam certos. Toda vez que você se coloca sob a pregação do Espírito Santo, ouvindo a ungida e convincente palavra, você certamente vai morrer. Quer dizer, vai morrer para os seus pecados.
Atualmente milhares de crentes se aglomeram para ouvir pregadores que nada sabem sobre o temor de Deus. E é exatamente por isto que os israelitas clamavam. Pouco depois de ouvirem a voz de Deus lhes falando de maneira audível, estavam novamente se pegando a seus ídolos. Seus louvores ao Senhor foram meros elogios falsos, vazios e sem significado.
Se fôssemos traduzir o pedido dos israelitas em termos modernos, soaria assim: "Parem com esta pregação negativa. Não queremos mais ouvir nenhuma mensagem assustadora do tipo dia do juízo final. Estas mensagens só produzem culpa desnecessária. Preguem para nós sobre o amor e o perdão de Deus; afinal de contas, somos apenas humanos. O nosso Senhor tem a ver com o amor - não com a ira e o medo."
Há pouco um homem escreveu o seguinte ao nosso ministério: "Não sei quem me colocou em sua lista de correspondência, mas por favor remova meu nome imediatamente. Não suporto seu evangelho azedo e a sua martelação contra o pecado. Ninguém é perfeito, nem você. Chega deste seu evangelho condenatório (da versão bíblica) King James."
Isaías falou deste tipo de resposta: "Porque povo rebelde é este, filhos mentirosos, filhos que não querem ouvir a lei do Senhor. Eles dizem aos videntes: Não tenhais visões; e aos profetas: Não profetizeis para nós o que é reto; dizei-nos cousas aprazíveis, profetizai-nos de ilusões; desviai-vos do caminho..." (Isaías 30: 9-11).
A palavra "aprazíveis" neste versículo significa "bajulação". Israel disse, em poucas palavras: "Chega de nos falar de coisas ruins. Fale de como as coisas vão ficar boas. Descreva como vamos prosperar, as grandes coisas que nos aguardam. Caso contrário, pode ir embora." Nenhum crente que esteja escondendo pecado no coração, alguma vez vai querer ouvir uma palavra santa que exponha o pecado. Esta pessoa sempre fugirá da voz da verdade proveniente do Espírito Santo. E vai buscar algum pastor que seja flexível diante do pecado, e que ofereça conversinha suave e profecias lisonjeiras.
Então, você pergunta, qual foi a dura mensagem que a voz de Deus trouxe ao seu povo no Monte Sinai? Ele simplesmente disse isto: "Eu sou o Senhor, teu Deus, que te tirei do Egito, da casa da servidão. Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagem de escultura...não as adorarás, nem lhes darás culto..." (Deuteronômio 5: 6-9).
Aqui estava a pura e não adulterada palavra do Senhor, vinda diretamente de sua boca. Ela deveria ter mandado o povo voando à suas tendas para esmagar suas imagens gravadas. Ela deveria ter mexido em seus corações e os colocado de joelhos. Mas em vez disto, gritaram: "Chega de trovão, de fogo, de terremoto. Chega de voz audível falando com a gente. Arranjem um porta-voz igual a nós, e deixem que ele fale conosco. Aí então vamos ouvir e obedecer."
O Espírito do Senhor veio sobre Moisés, e ele profetizou o seguinte:
"O Senhor, teu Deus, te suscitará um profeta do meio de ti, de teus irmãos, semelhante a mim; a ele ouvirás, segundo tudo o que pediste ao Senhor, teu Deus, em Horebe, quando reunido o povo: Não ouvirei mais a voz do Senhor, meu Deus, nem mais verei este grande fogo, para que não morra. Então, o Senhor me disse: Falaram bem aquilo que disseram. Suscitar-lhes-ei um profeta do meio de seus irmãos, semelhante a ti, em cuja boca porei as minhas palavras, e ele lhes falará tudo o que eu lhe ordenar. De todo aquele que não ouvir as minhas palavras, que ele falar em meu nome, disso lhe pedirei contas" (Deuteronômio 18: 15-19).
Para simplificar, Deus atenderia o pedido de Israel através de duas maneiras:
1. Primeiro, Ele falaria ao Seu povo através de homens pelos próximos 1.500 anos. Usaria profetas, juizes, videntes e reis como Seus justos porta-vozes. Em verdade, durante quarenta anos Deus colocou Sua palavra na boca de Moisés, para falar àquela geração. Estevão testificou que Moisés recebeu "palavras vivas" de Deus na montanha (Atos 7:38).
Contudo, através dos séculos, Israel se recusou a ouvir ao Senhor. "A quem nossos pais não quiseram obedecer; antes, o repeliram e, no seu coração, voltaram para o Egito" (v. 39). Tornaram-se em "...geração obstinada e rebelde, geração de coração inconstante, e cujo espírito não foi fiel a Deus" (Salmo 78:8).
Geração após geração Deus fez exatamente o que o povo pediu, pois falou a eles através de homens. No entanto, como Deus afirmou através de Isaías à geração que se seguiu: "...falei, e não atendestes; mas fizestes o que é mau perante mim e escolhestes aquilo em que eu não tinha prazer" (Isaías 65:12). Deus disse a mesma coisa através de Jeremias:
"Desde o dia em que vossos pais saíram da terra do Egito até hoje, enviei-vos todos os meus servos, os profetas, todos os dias; começando de madrugada, eu os enviei. Mas não me destes ouvidos, nem me atendestes; endurecestes a cerviz e fizestes pior do que vossos pais. Dir-lhe-ás, pois, todas estas palavras, mas não te darão ouvidos; chamá-lo-ás mas não te responderão. Dir- lhe-ás: Esta é a nação que não atende à voz do Senhor, seu Deus, e não aceita a disciplina; já pereceu, a verdade foi eliminada da sua boca" (Jerem. 7:25-28).
Em Sua misericórdia, Deus falou a Seu povo de todas maneiras possíveis, admoestando, solicitando, amando, ameaçando. E falou tão claro que não poderia haver engano quanto aos Seus desejos. Mesmo assim o povo continuamente se fez de surdo para Ele.
2. Deus também falaria a Israel de uma segunda maneira. Ele prometeu lhes enviar um profeta, e passariam 1.500 anos desde a cena no Monte Sinai até que este Homem aparecesse. Este profeta é Cristo. "Foi Moisés quem disse aos filhos de Israel: Deus vos suscitará dentre vossos irmãos um profeta semelhante a mim" (Atos 7:37).
Na Nova Aliança Deus escolheu nos falar nestes últimos dias através de Jesus: "Havendo Deus, outrora, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, nestes últimos dias, nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as cousas, pelo qual também fez o universo" (Hebreus 1:1-2),
Então, por que Deus esperou 1.500 anos para cumprir a profecia de Moisés a Israel? Ele o fez porque estava aguardando com grande paciência todos estes anos, para ver obediência da parte do Seu povo. Sua demora foi um ato de misericórdia.
Jesus refere-se à paciência de Deus na parábola do proprietário da vinha. O proprietário ficou enviando os seus servos para pedir os frutos aos trabalhadores do campo. Enviou-lhes um mensageiro após o outro, mas sem proveito. Finalmente o proprietário resolveu: "Enviarei o meu próprio filho. Talvez o respeitem o suficiente para prestarem atenção e me honrarem" Mas ainda se recusaram a responder. E, enfurecidos, até mataram o filho do proprietário da vinha.
É exatamente isto que aconteceu com Israel. Por geração após geração, Deus enviou seus porta-vozes ao povo, mas eles continuamente se recusaram a ouvir. Em verdade, estavam tão determinados a se agarrem a seus pecados, que mataram o porta-voz filho, Jesus.
Deus ainda nos fala claramente hoje. Sua voz celestial está soando poderosamente por toda a terra. E esta voz vem através de um homem, Jesus, que está assentado à destra do Pai. Atente à estas palavras de Hebreus:
"Ora, não tendes chegado ao fogo palpável e ardente, e à escuridão, e às trevas, e à tempestade, e ao clangor da trombeta, e ao som de palavras tais, que quantos o ouviram suplicaram que não se lhes falasse mais, pois já não suportavam o que lhes era ordenado: Até um animal, se tocar o monte, será apedrejado. Na verdade, de tal modo era horrível o espetáculo, que Moisés disse: Sinto-me aterrado e trêmulo! Mas tendes chegado ao monte Sião e à cidade do Deus vivo, a Jerusalém celestial, e à incontáveis hostes de anjos, e à universal assembléia e igreja dos primogênitos arrolados nos céus, e a Deus, o Juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados, e a Jesus, o Mediador da nova aliança, e ao sangue da aspersão que fala cousas superiores ao que fala o próprio Abel. Tendes cuidado, não recuseis ao que fala. Pois, se não escaparam aqueles que recusaram ouvir quem, divinamente, os advertia sobre a terra, muito menos nós, os que nos desviamos daquele que dos céus nos adverte, aquele, cuja voz abalou, então, a terra; agora, porém, ele promete, dizendo: Ainda uma vez por todas, farei abalar não só a terra, mas também o céu. Ora, esta palavra: Ainda uma vez por todas significa a remoção dessas cousas abaladas, como tinham sido feitas, para que as cosas que não são abaladas permaneçam" (Hebreus 12: 18-27).
Você entendeu a mensagem desta passagem? Quando Deus falou a primeira vez, o povo respondeu: "Não nos fale mais do céu. Fale-nos através de um homem." E Moisés profetizou: "Assim como pediram, Deus vai levantar um profeta. Ele vai ser inteiramente humano e lhes falará as palavras de Deus."
Jesus foi o profeta prometido. Ele foi o Deus encarnado, o Senhor em carne humana. Teve um ministério sobre a terra como homem, e uma multidão de testemunhas O viu ascender aos céus como homem. Agora Ele possui um corpo místico, que é a Sua igreja. Mas Jesus ainda é um homem feito de carne, ainda tocado pelas emoções humanas que todos experimentamos.
Hoje, nestes últimos dias, Deus fala mais uma vez do céu. E está nos dizendo que irá abalar tudo que está à vista: "Aquele, cuja voz abalou, então, a terra; agora, porém, ele promete, dizendo: Ainda uma vez por todas, farei abalar não só a terra, mas também o céu" (Hebreus 12: 26).
Deus está dizendo essencialmente: "Abalei a terra no Monte Sinai. Mas ao falar nestes últimos dias, minha voz abalará tanto o mundo natural quanto o mundo espiritual. O status quo vai tremer; nada permanecerá como é. Tudo que é chamado de religioso, tudo que é de Cristo ou da igreja, será abalado pela voz do meu Filho falando do céu."
Deus advertiu a Israel de que todo aquele que se recusar a ouvir ao Seu profeta será chamado a prestar contas: "De todo aquele que não ouvir as minhas palavras, que ele falar em meu nome, disso lhe pedirei contas" (Deuteronômio 18:19). Ele estava dizendo: "Vou rastrear cada uma das desobediências, e você responderá por elas."
As escrituras revelam que aqueles que ignoraram as palavras dos profetas de Deus foram à ruína. Ficaram mirrados e amargos, e morreram sem nenhuma alegria ou paz. "Tendes cuidado, não recuseis ao que fala. Pois, se não escaparam aqueles que recusaram ouvir quem, divinamente, os advertia sobre a terra, muito menos nós, os que nos desviamos daquele que dos céus nos adverte" (Hebreus 12:25).
Amado, não escaparemos da ira de Deus nem como nação e nem como indivíduos. E agora mesmo a voz de Jesus está abalando todas as nações, levando instituições, líderes e economias a tremer. Ele diz aos ventos e aos elementos: "Assoprem sobre a terra." Diz às nuvens: "Detenham as chuvas." Diz às economias mundiais: "Toda ambição será julgada." Estamos vendo estes terríveis abalos agora mesmo na Ásia, no Brasil, México, Argentina.
Deus está também ordenando: "Prisões: abalem-se. Governos: abalem-se. Sistemas financeiros: abalem-se. Escolas: abalem-se. Forças militares: abalem-se. Tribunais e legislaturas: abalem-se. Tudo sobre a terra: estremeça até que não reste alicerce algum senão o Senhor."
Não é o diabo que está agitando tudo. O mundo inteiro está sendo abalado pela voz do Cristo vitorioso. O Homem em glória ascendeu em poder ao Seu trono, e está proferindo as palavras que abalam todas as coisas.
Neste instante, Deus está fazendo uma faxina na casa. De acordo com Hebreus, a única razão pela qual Jesus derramará Seu Espírito nestes últimos dias será para abalar a casa de Deus. Tudo que não for santo, tudo que for impuro ou da carne será abalado, varrido, exterminado.
O nosso ministério recebe cartas desoladas de preciosos santos que sofrem com o que vêem acontecer em suas igrejas. Há um clamor constante para "novidades", e coisas horrendas estão sendo introduzidas diariamente: manifestações carnais, práticas ridículas. Em uma igreja, ouro em pó cai do teto como chuva.
Uma pessoa escreve dizendo que toda semana sua igreja apresenta concertos de punk-rock, com artistas que se parecem e agem como grupos seculares, influenciados pelo diabo. Outros nos escrevem falando sobre adoração com coreografia que mais parece com a Broadway ou com um nightclub, do que com igreja. Outros ainda escrevem falando a respeito de pregações vazias, áridas, permissivas.
Quero lhes dizer: tudo isto está prestes a acabar. O Senhor vai falar poderosamente, expondo tudo que for falso, lascivo, cheio de avidez. Todo falso profeta obcecado pelo dinheiro vai tremer porque uma quebra econômica o irá sacudir e tirar dos negócios.
Como vai acontecer este abalo e esta exposição? Acontecerá através de um Homem, Jesus. Ele promete falar com todos que estão vivendo em pecado, em desobediência, se ligando à coisas que Sua palavra condena. E Sua voz será inconfundivelmente clara.
Primeiro Ele falará ternamente a todo desviado que se desgarrou. Dirá: "Por que você não ouviu o meu pedido para que retornasse? Por que ficou surdo ao meu convite para se arrepender e ser restaurado? Venha a Mim já, antes que a sua vida seja abalada até à base."
Porém Jesus falará também com homens e mulheres piedosas que perseveram na verdade, na pureza e na santidade. Agora mesmo está levantando pessoas cujos corações receberam a Sua palavra que abala, que convence. Estas pessoas estão trancadas com o Senhor e Este lhes dará poder para que falem por Ele.
Então: como o Senhor vai falar a você? Você está recebendo Sua palavra perturbadora, e permitindo que ela trabalhe em seu coração? Ou está tendo uma vida dupla, ainda cedendo à fornicação, ao adultério, ao ódio, à amargura?
Se você afirma: "Cristo é o meu Senhor", e ainda tem pecado oculto na vida, você pode saber que O ouvirá falar. Ele dirá: "Por que você não retornou à minha graça? Por que a rejeitou o tempo todo? Você ouviu meu chamar amoroso. Você experimentou o meu carinho amoroso. Contudo está desprezando tudo isto. Por que?"
Os israelitas estavam tão entregues à luxúria, que se apegaram à ela até diante do fogo consumidor de Deus . E o mesmo está acontecendo hoje na igreja. Deus claramente declarou que o julgamento começará por Sua casa. E Paulo escreve que se continuamos em nosso pecado, seremos entregues à Satanás para a destruição da carne, para que nossas almas possam ser salvas.
Contudo, aqui estão as boas notícias. Este abalo sobrenatural, a limpeza da casa de Deus, tanto no país quanto na igreja, resultará em um alicerce inabalável. Ele produzirá uma igreja santa, aparada, que ostenta um remanescente de santos que andam em temor a Deus e na justiça de Cristo.
Possuiremos uma comunhão como nunca conhecemos antes. Teremos alegria indizível. E desejaremos ardentemente ouvir a aterrorizante voz de Deus.

Copyright/Limitações para reproduções: a publicação destes arquivos é propriedade exclusiva de World Challenge, Inc. Ela pode ser impressa na totalidade de seus textos para o uso pessoal do leitor, ou visando passá-la adiante para familiares ou amigos. Ela não pode ser alterada ou editada de modo algum e toda reprodução desta publicação deve conter essa nota de copyright. Este material não é para ser colocado ou transmitido publica/eletronicamente a nenhum site, página ou FTP senão os seguinte: worldchallenge.org, davidwilkerson.org, ou tscpulpitseries.org.

Um comentário:

  1. Acabei de encontrar seu blog, e gostei do tema, estamos vivendo tempo finais e difíceis, portanto, é necessário que pessoas se levantem para anunciar a salvação
    através de Jesus Cristo.
    Atalaiar é a ordem nos últimos dias da Igreja de Cristo.
    Deus o abençoe!
    E continue nesta missão que Jesus lhe concedeu.

    A propósito, caso ainda não esteja seguindo o meu blog deixo aqui o convite:
    http://frutodoespirito9.blogspot.com/

    P.S. Convido a conhecer o blog do Discípulo de Cristo. Mensagens polêmicas, atuais e abençoadoras...
    http://discipulodecristo7.blogspot.com/

    ResponderExcluir